terça-feira, 19 de abril de 2011

CURSO GRATUITO DE HISTÓRIA DO CINEMA E ALGUMAS CURIOSIDADES DA CINEMATECA BRASILEIRA by paulo castilho

Hoje de tarde fui fazer a minha inscrição num curso gratuito que começa na terça-feira que vem na Cinemateca Brasileira, sobre 'A História do Cinema Brasileiro'.


Com duração até o dia 14 de junho, sempre uma vez por semana, às 19h, o conteúdo será dado por professores da USP numa parceria com o Departamento de Cinema, Rádio e Televisão da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo. 


Ao todo, 100 vagas estão sendo disponibilizadas ao público, a partir de hoje até sexta, 22, das 15h às 21h.  Mas vale lembrar que  a procura é alta e por isso recomenda-se agilidade para quem estiver interessado. A inscrição é gratuita, sendo somente necessário levar alguns documentos pessoais para o preenchimento da ficha. Mais informações, o site da cinemateca: www.cinemateca.com.br. Ou clique aqui para ir ao link direto da página do curso. 


ENCONTROS E REENCONTROS

Quem encontrei lá por acaso, também fazendo a inscrição, foi a Denise - que fez comigo a 'Oficina WebDoc Verdade', com o Jorge Bodanzky (veja aqui um post a respeito). Legal poder reencontra-la agora neste novo curso.

E como estava com o celular no bolso, pra não perder o costume, fiz um registro ao vivo não apenas para falar sobre as inscrições e mas também para mostrar algumas curiosidades que achei por lá. São as máquinas de projeção de imagens em movimento que fazem parte do acervo permanente da Cinemateca.

Em geral, elas usam o fenômeno da persistência retiniana, segundo o qual se fundou toda a base do cinema e que determina em nosso olhos a ilusão do movimento a partir de uma série de imagens estáticas reproduzidas numa determinada velocidade. Um exemplo: 24 quadros no cinema durante um segundo nos fazem enxergar essa sucessão de imagens como um movimento contínuo.

Melhor do que falar é mostrar:



CINEMA: ILUSÃO OU REALIDADE?
E como o dia estava ensolarado, dei uma volta pelos jardins dos fundos onde encontrei uma curiosa instalação com um carro capotado. Achei extremamente interessante e resolvi fazer uns registros para colocar também aqui no Blog.

Olhando fora do contexto da Cinemateca, as fotos realmente dão a impressão de que o carro virado de cabeça para cima poderia parecer um acidente. Assim, inspirado pelo lugar, a instalação me fez refletir sobre a condição do cinema como reprodução do real.

Até que ponto o que filmamos pode ser ilusão ou realidade?
Veja:


Gostou?
Deixe seu comentário abaixo. Espalhe pelas redes sociais!
Abs,
PC.

2 comentários:

Anônimo disse...

Paulo
Parabéns pelo site!
Abcs

Alexandre Taleb
Consultor de Imagem/Personal Stylist
AICI - USA member - association of image consultants international
Blog: http://ataleb.wordpress.com
Site: www.alexandretaleb.com.br

RODRIGO disse...

Fala Paulo, Legal a idéia do carro de cabeça para baixo,e interessante tb o Curso

Continue navegando por aqui! Assuntos de interesse: